A Lei de Murphy e as 101 Causas Frequentes de Falhas nos Projetos

lei-de-murphy-em-projetos

Para quem trabalha como Gerenciamento de Projetos certamente já ouviu falar na Lei de Murphy e muitas outras pessoas que não são deste campo também já ouviram falar da Lei de Murphy.

Mas o que é a Lei de Murphy?

 A Lei de Murphy se originou por um episódio de um engenheiro aero espacial norte americano chamado Edward A. Murphy, que durante o procedimento de testes os sensores falharam, então ele disse: “se este homem tem algum modo de cometer um erro, ele o fará”. Daí foi desenvolvida a seguinte narrativa: “se existe mais de uma maneira de uma tarefa ser executada e alguma dessas maneiras resultar num desastre, certamente será a maneira escolhida por alguém para executá-la”.

Sendo assim, podemos tirar a conclusão que se algo pode dar errado, vai dar errado, e precisamos gerenciar a Lei de Murphy em nossos projetos.

Veja no vídeo abaixo algumas situações onde a Lei de Murphy se materializou.

Palestra

No dia 03 de Setembro de 2015, a Projectlab promoverá no Rio de Janeiro, uma palestra sobre “A Lei de Murphy e as 101 Causas Freqüentes de Falhas nos Projetos”, do palestrante Luis Cáceres. Para se inscrever na palestra clique aqui.

Na palestra serão explicadas as causas de falhas mais comuns, especialmente aquelas que acontecem nos melhores cenários, quando as metodologias são seguidas à risca, se contam com profissionais competentes, as ferramentas mais exóticas e os processos mais amadurecidos. Com exemplos históricos como na NASA, no exército americano e em muitos outros, podemos encontrar as competências gerenciais necessárias para prevenir estas falhas e obter resultados nos projetos.

Nesse bloco se analisam as causas de falhas nos projetos desde a ótica das competências gerenciais, ou CHA di Gestor 1: Conhecimento, Habilidade e Atitude. Abordagem de casos históricos como Titanic, Challenger, Batalha de Adrianópolis, entre outros.

O evento também será o lançamento do livro “Murphy on Projects: causas de falhas em projetos e como preveni-las”, de Luis Cáceres.

Será feito o sorteio de um livro durante a palestra entre os participantes.

Na Fan Page do Blog Gerenciando Riscos em Projetos, será realizado um desafio valendo uma entrada VIP para assistir a palestra. Curtam a Fan Page e fiquem atentos sobre as postagens.

Abaixo segue o vídeo do trailer do livro e algumas imagens onde a Lei de Murphy se materializou.

murphy1

Figura 1 – Lei de Murphy – Construção de Ponte

murphy2

Figura 2 – Lei de Murphy – Rede Ferroviária

Entrevista

O Blog Gerenciando Riscos em Projetos fez uma pequena entrevista com o palestrante para que o leitor deste Blog conheça melhor o autor e palestrante Luis Cáceres. Abaixo segue a entrevista.

Blog: Fale um pouco sobre sua carreira

Luis Cáceres: Fiz parte da primeira geração da internet na América Latina, implementamos os primeiros provedores de internet, quando ainda se especulava sobre o que seria do mundo depois da internet. Passei a gerenciar projetos cada dia maiores, com equipes multidisciplinares e em diferentes países, projetos de Telecom e serviços móveis. Como evolução passei a integrar PMOs. Dentro destes, tive a oportunidade de gerenciar projetos corporativos, desenvolvimento de produtos e fusões e aquisições de empresas, tendo me dedicado a este último tipo de projeto nos últimos anos, entre elas algumas das maiores fusões da América Latina em 2012 e 2014 (até R$ 11 bilhões em valor de negócio). A complexidade que os fatores comportamentais acrescentam aos projetos me lavaram a buscar novas ferramentas para administrá-las, foi assim que me tornei coach pessoal e profissional e, recentemente, Change manager certificado.

Blog: Em duas frases, por que os projetos falham?

Luis Cáceres: Menosprezar os detalhes e deixar que as atitudes se sobreponham aos critérios técnicos.

Blog: Como foi a pesquisa para o preparo do livro “Murphy On Projects” para explorar erros históricos, como no Titanic, em Challenger, Batalha de Adrianópolis?

Luis Cáceres: Inicialmente a pesquisa buscou casos de colegas ao redor do mundo, pois não sou a favor de divulgar projetos pessoais. Mas pela dificuldade para validar as informações, optei por usar casos mais conhecidos. Foi assim que conheci a Ranjit Sidhu, autora de “Titanic Lessons in Project Leadership”, e com quem escrevi um artigo na revista Mundo PM, conheci o trabalho de Mark Holland e Jerry Manas, quem tem escrito sobre projetos históricos.

No caso de Adrianópolis, eu sou fã da historia medieval e achei que esta historia seria um ótimo exemplo das más atitudes nos projetos, também chamadas de “pecados capitais” do gerente.

Eu gosto muito da cultura geral, por isso no livro menciono deste Aristóteles até Bruce Lee e Tom Cruise, ajudando apresentar conceitos importantes de forma simples e divertida.

Blog: Qual é a importância das Soft Skills para o Gerenciamento de Projetos?

Luis Cáceres: Fundamental! A competência gerencial tem 3 dimensões: conhecimento, habilidade e atitude. Conhecimento e habilidade são essências, sem elas não se faz um bom trabalho, mas são as atitudes e soft skills que fazem a diferença. Veja por exemplo Napoleão.  Foram seus soft skills que fizeram que se destacasse e não que fosse mais um general. Ele caminhava entre o povo e seus soldados, os tratava com educação e se liderava pelo exemplo. Numa situação ele disse aos seus soldados: “se alguém me ver retroceder, atire em mim”.  

Blog: Uma dica para ter o perfil do PMP de sucesso.

Luis Cáceres: Planejar não somente para atingir sucesso, mas para evitar o máximo de problemas. A maioria de projetos não falha pelo planejamento errado e sim pela incapacidade de antecipar problemas. Lembremos do Titanic!

Não menosprezar os conceitos de motivação e comunicação. Em projetos complexos, as habilidades de comunicação podem ser a única ferramenta com que o gerente conta para fazer com que as coisas aconteçam. 

Autor: Luiz Guilherme Carvalho, MBA, PMP, PRINCE2, PMI-RMP, M_o_R, CSM

Linkedin |Facebook  | Grupo de Discussão | Blog

Foto de Terno