Riscos de Chuvas de Verão

Chuvas de Verão

Na época de verão, mais especificamente no mês de Janeiro, todos os brasileiros assistem há anos chuvas castigando as cidades brasileiras. Na Região Serrana do Rio de Janeiro, todos os verões pessoas são mortas e desalojadas por conta das três esferas do Governo não tomarem as ações que deveriam tomar.

Passadas as tragédias e com o fim das chuvas, os problemas são esquecidos não só pelos nossos governantes, mas também pelo povo. Quem garante que passada as chuvas torrenciais, famílias de baixa renda não estejam construindo novas moradias em encostas e áreas de risco? E o que o Governo faz para evitar a construção dessas novas moradias? E o Governo, o que esta fazendo com as moradias que já estavam em encostas e áreas de risco e não foram afetadas no último verão?

Do ponto de vista de Gerenciamento de Riscos, algumas ações de Mitigação de Riscos poderiam ser tomadas, com o objetivo de ao menos reduzir o impacto, tais como perda de vidas humanas e perda material de moradias. Tais ações também reduziriam o desembolso do Governo quando ocorrem essas tragédias, já que nesses casos o Governo libera o saque do FGTS para as famílias afetadas e outras despesas por conta da tragédia.

O dinheiro que o Governo poderia estar economizando com práticas de Gerenciamento de Risco, poderia estar ampliando o investimento em construção de casas populares, e removendo todas as famílias em casas construídas em encostas e áreas de risco.

Cabe ressaltar que não é só o Governo que tem responsabilidade, mas o povo também tem sua parcela de culpa. Nas grandes metrópoles brasileiras, grande parte da população joga lixo na rua, fazendo com que os bueiros fiquem entupidos, e quando vem à chuva, a água não consegue escoar.

Em Tókio, no Japão, a cidade sofria com temporais e com três tufões por ano (até hoje), inundando muitas regiões. Foi feito um Projeto parecido com os piscinões de São Paulo, no caso de Tókio são túneis, o maior com 4,5Km de comprimento para escoar a água. Desde de 2005 não há enchentes em Tókio. A diferença de Tókio para São Paulo, é que além dos japoneses serem mais educados, foi feita uma campanha para que as pessoas não jogassem lixo na rua, caso contrário, entupiriam os bueiros e o objetivo do Projeto não seria alcançado. Essa campanha foi uma ação de mitigação de risco ao não entupimento dos bueiros, e a construção dos túneis, também foi uma ação de mitigação contra as enchentes. As duas ações em conjunto fizeram com que praticamente fosse eliminado o risco de enchentes em Tókio. Veja o vídeo com a reportagem do Projeto em Tókio.

O IPT, Instituto de Pesquisas Tecnológica de São Paulo, lançou um vídeo onde demonstra os Riscos de desmoronamento, e fala sobre as ações que as pessoas precisam tomar para evitar tragédias durante as chuvas de verão.


Cabe aos nossos governantes a iniciativa de ações para minimizar os impactos durante os temporais no verão brasileiro. Traçar ações de mitigações, tendo participação as três esferas governamentais, entidades, ONGs, representantes de comunidades, e todos os Stakeholders, que poderão contribuir no planejamento das ações.

No caso da Cidade do Rio de Janeiro, os cariocas sabem desde sempre que quando há uma chuva muito forte, a Praça da Bandeira, que fica próximo do Estádio do Maracanã, fica alagado. Há uma obra sendo realizada pela Prefeitura para minimizar (mitigar) o impacto.

Caso não haja um planejamento no tratamento aos riscos ocasionados pelos temporais, principalmente no verão, assistiremos vidas humanas sendo perdidas e famílias perdendo suas moradias e pertences.

Fan Page: https://www.facebook.com/gerenciandoriscosemprojetos

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *