Gerenciamento de Riscos e Stakeholders no Brasileirão de 2011

Brasileiro 2011-2

Nos últimos anos, na disputa do Campeonato Brasileiro de Futebol da Série A, víamos nas últimas rodadas, clubes que já não tinham mais o que almejar no Campeonato não se empenhando para ganhar seus jogos, quando jogavam contra clubes de outros estados que estavam disputando o Título do Campeonato Brasileiro. Isso ocorria devido ao maior rival desses times também estar disputando o Título do Campeonato, fazendo com que os últimos jogos tivessem os resultados previsíveis e sem emoção.

No ano de 2011, a CBF, Confederação Brasileira de Futebol, decidiu que na última rodada os clubes do mesmo estado deveriam se enfrentar para coibir a “entrega” dos jogos e também que os jogos fossem realizados no mesmo horário.

Esta decisão foi tomada sem consulta prévia aos principais Stakeholders envolvidos, como os Clubes, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Imprensa, dentre outros. Imagine na cidade de São Paulo a circulação de torcidas rivais como a do Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo circulando simultaneamente. Assim como no Rio de Janeiro com as torcidas do Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco da Gama.

No caso do Rio de Janeiro, havia um componente a mais que também foi ignorado pela CBF. Na ocasião o Estádio do Maracanã estava fechado e só havia o Estádio João Havelange – Engenhão – que o Botafogo tem a concessão de administrá-lo e o Estádio de São Januário, que pertence ao clube Vasco da Gama. Flamengo e Fluminense não têm estádios próprios.

A CBF ao tomar a decisão de realizar os jogos no mesmo horário e cidade na última rodada, avaliou os Riscos envolvidos nessa tomada de decisão?

Os impactos de não identificar os Riscos e não envolver os Stakeholders já citados no início deste Post foi um erro, principalmente nas cidades do Rio de Janeiro e São Paulo. Como a CBF poderia saber se a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiro teria a quantidade de efetivos para atender a segurança dos torcedores sem comprometer a segurança da cidade em dias normais?

No Rio de Janeiro, como já citado, havia o problema do Estádio. O Clube Vasco da Gama solicitou que o jogo contra o Flamengo fosse realizado no Estádio de São Januário, mas a Polícia Militar e Corpo de Bombeiro não aprovaram, devido aos problemas de acesso ao Estádio e isolamento de torcidas. Já o Botafogo informou que não iria ceder o Estádio do Engenhão para o confronto entre Vasco x Flamengo, caso o Botafogo estivesse disputando uma vaga na competição da Taça Libertadores do ano de 2012 e que esse problema deveria ser resolvido entre a CBF e os clubes Vasco da Gama e Flamengo. A decisão de onde se realizar os jogos, ficou para as últimas rodadas. A decisão foi que o confronto entre Botafogo x Fluminense fosse realizado na cidade de Volta Redonda, no Sul Fluminense e fica a 127 km da Cidade do Rio de Janeiro, fazendo surgir mais um Stakeholder, a Polícia Rodoviária Federal, onde teria que fazer a escolta de torcedores dos dois clubes.

Todo esse transtorno poderia ser evitado se fosse feito o Gerenciamento de Riscos e os Stakeholders fossem envolvidos. Enquanto organizações, pessoas e entidades forem reativas a prática do Gerenciamento de Riscos, desgastes serão vistos, prazos não serão cumpridos e orçamentos serão estourados. Aqueles que adotam a prática do Gerenciamento de Riscos estão à frente dos seus concorrentes, pois podem prever problemas a frente, que poderão ser evitados, eliminados e mitigados.

Fan Page: https://www.facebook.com/gerenciandoriscosemprojetos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *